segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Guia Prático do Convívio Pessoal



O que não se aprende em casa deve se aprender na rua. 

Ciência é uma atividade social. Portanto, demanda eventos como encontros, contatos e diálogos. Este texto apresenta algumas noções básicas para o convívio social civilizado. 

Algo que já observei entre alunos e professores universitários é a crescente falta de noção sobre civilidade elementar. E isso não ocorre necessariamente por conta de maldade ou malícia das pessoas, mas geralmente por pura ignorância. 

Contato

1) Quando se envia um e-mail a alguém, ele deve ser assinado. Nem sempre é possível inferir a partir do endereço eletrônico do remetente quem efetivamente enviou o e-mail. 

2) Quando se telefona para uma pessoa, deve-se evitar a espera prolongada para ser atendido. Se, após cinco ou seis toques, o outro lado não atende, isso geralmente significa uma entre duas possibilidades: a pessoa do outro lado não pode atender ou simplesmente não quer atender.

3) Quando se telefona para uma pessoa, por mais íntima que seja, não custa perguntar se ela dispõe de tempo para conversar, antes de iniciar qualquer diálogo. O mesmo vale para comunicações online, como no facebook. Trata-se de uma demonstração muito simples, mas fundamental, de respeito.

4) Todas as pessoas contam com espaço individual ao redor de seus corpos. Respeite essa distância, principalmente em contatos profissionais ou acadêmicos.

Encontros

1) Se você agenda um encontro com alguém, para discutir sobre assuntos profissionais ou acadêmicos, não deve ir acompanhado de qualquer pessoa que não tenha sido anunciada previamente. Se isso for inevitável, deve pedir desculpas para aquele(a) com quem marcou o encontro e perguntar-lhe se há algum inconveniente na presença da parte não anunciada. 

2) A coisa mais importante que um ser humano pode dar a outro é o seu tempo. Encontros profissionais e acadêmicos devem seguir horários bem definidos para começo e término. E tais horários devem ser respeitados.

3) Se você oferecer alguma comida ou bebida para alguém que está encontrando e esta pessoa recusar, não insista. 

Diálogos

1) Quando se argumenta com uma pessoa que é contrária às suas ideias, não repita argumentos já apresentados.

2) Jamais use os argumentos da autoridade (conheço melhor do que você), da contra-autoridade (quem é você para dizer isso?), da tradição (sempre foi feito assim) ou da revelação (eu simplesmente sei). Não é racional e, portanto, denuncia seu despreparo para conversar de maneira civilizada.

3) Muitas críticas que você ouve frequentemente espelham o perfil pessoal do crítico. O mesmo vale para as críticas pessoais que você faz. Ou seja, evite discussões prolongadas que demonstrem claramente que nenhuma das partes está disposta a ser flexível. Falta de flexibilidade em relação a uma ideia não é necessariamente uma característica ruim. Mas insistir em discussões que não evoluem é desgastante e uma considerável perda de tempo.

4) Profissionais frequentemente têm títulos, como Professor ou Doutor. Tais títulos fazem parte da vida desses profissionais e devem ser usados em conversações ou mesmo em referências e contatos a distância (como cartas e e-mails), a não ser que seja explícita ou implicitamente permitido um tratamento menos formal. 

5) Quando você se apresentar a uma pessoa que não o(a) conhece, diga seu nome e sobrenome. Quando introduzir uma pessoa para outra, diga o nome e o sobrenome da parte apresentada.

6) Quando uma cidade é mencionada em uma conversa, deve ser deixado claro de qual estado ela é (se for brasileira) ou de qual país. 

7) Não interrompa conversas quando você acaba de chegar em um ambiente social.

8) Não use vocabulário chulo em conversações profissionais ou acadêmicas.

Comportamento em ambientes públicos

1) Não fale alto em telefones celulares quando estiver em ambientes abertos (ruas, parques, praças) ou em certos ambientes fechados (como elevadores, lanchonetes, bares e salas de espera). Desligue seu celular quando estiver em ambientes fechados que demandam a concentração de outras pessoas (como no caso de reuniões formais, aulas, palestras e certos espetáculos públicos). 

2) Livre-se de lixo somente em locais propriamente designados. Isso inclui fezes e urina.

3) Se sofrer um acidente automobilístico cujo único dano é material e que permita o deslocamento imediato de seu veículo para não interferir no fluxo normal do trânsito, faça-o.

4) Conheça e respeite as leis de trânsito de veículos motorizados.

5) Não palite seus dentes em restaurantes, a não ser que você use o banheiro do estabelecimento.

6) A vida deve ser um eterno processo de aprimoramento. Aprenda regras básicas de etiqueta e use-as. 

7) Não cante quando uma bandeja cair em um restaurante.

Observação Final

Se for difícil lembrar dessas recomendações, apenas siga a velha máxima: não faça com os outros aquilo que você não gostaria que fizessem com você.

5 comentários:

  1. Infelizmente muitas vezes as pessoas usam seus diplomas para afirmarem como correta uma posição/idéia numa discussão! Professores é o exemplo que mais tenho visto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo

      Creio que entendo bem a sua observação. Mas permita-me contar um caso real que aconteceu comigo. Anos atrás orientei um aluno incrivelmente brilhante em um projeto de iniciação científica. Durante a avaliação do EVINCI (Evento de Iniciação Científica da UFPR) eu sabia que um dos professores presentes tentaria desmerecer o trabalho deste aluno. Afinal, eu já sabia como operava a mente daquele indivíduo. Então alertei meu aluno: "Aquele professor fará de tudo para sabotá-lo. Não se intimide. Apenas trate-o com respeito e responda calmamente às observações dele." Dito e feito. O tal do professor (doutor com décadas de experiência) afirmou categoricamente que não compreendia absolutamente nada daquela apresentação. Meu aluno então respondeu: "O tempo que tenho aqui disponível para apresentação oral é de apenas 15 minutos. Mas tenho certeza de que se o professor quiser, posso responder a todas as suas dúvidas após a apresentação." Resultado: este aluno conquistou o primeiro lugar no EVINCI, publicou um artigo referente ao tema em uma importante revista norte-americana de física e demonstrou que respeito a professores pode ser dado mesmo quando eles são obtusos. Nunca esquecerei este evento.

      Excluir
  2. Caro Adonai,
    você me permite utilizar este texto em minhas aulas com o ensino médio. Pode ajudar a despertar o sentimento de civilidade em algumas pessoas.
    At., Gilson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que sim, Gilson! Depois me conte se a coisa funcionou.

      Excluir
  3. O item 7 de Comportamento em ambientes públicos é muito bom... rsrsrs

    ResponderExcluir

Respostas a comentários dirigidos ao Administrador demoram usualmente até três dias.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.