quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Vamos Tentar Mais Uma Vez


Esta é a centésima postagem do blog. Por isso, quero fazer dela algo especial. 

O principal foco deste site é a crítica à educação brasileira e ao nosso desenvolvimento científico nacional, alicerces fundamentais para uma nação do porte do Brasil. Mas apenas reclamar não produz resultado algum, a não ser que tais reclamações formem uma rede social que transcenda o minúsculo nó que este blog representa. Por isso, faço mais um apelo aos leitores que efetivamente querem contribuir para a construção de um Brasil melhor. 

Temos aqui dois depoimentos de talentos excepcionais em ciência que enfrentaram ou enfrentam gigantescas dificuldades para investir nas atividades intelectuais que tanto amam. Um deles está na postagem Depoimento de um Superdotado e o outro se encontra no texto A Saga de Um Físico Tupiniquim. No link Depoimentos há acesso a estes dois testemunhos na mesma tela, bem como à excelente postagem de meu ex-aluno Marlon Soares, hoje um notável professor de física.

Meu apelo a vocês, leitores, é que divulguem estes dois casos, bem como casos semelhantes que vocês mesmos conheçam, nos principais veículos de comunicação em massa do país. Todas as revistas, jornais e programas de rádio e televisão contam com canais abertos para sugestões de pauta. O que solicito de cada um de vocês é que enviem e-mails para esses veículos, sugerindo como item de pauta reportagens sobre o desperdício de intelectos no Brasil. Precisamos despertar o país. O que aconteceu com Carlos Chagas e Peter Medawar não foi algo que ficou no passado. Até hoje criamos barreiras contra a ciência e a educação brasileiras.

O Governo Federal tem assumido muitas atitudes construtivas e até inteligentes, sem dúvida. Mas precisamos reconhecer, de uma vez por todas, que não somos uma sociedade suficientemente articulada e forte para promover ciência e educação de qualidade competitiva em âmbito internacional. E precisamos disso para termos uma nação socialmente justa no futuro. 

O principal papel de qualquer imprensa livre é a manutenção e a consolidação da democracia da nação que a abriga. E a educação e a ciência brasileiras não são segmentos sociais democráticos. Basta ler os depoimentos acima citados, para perceber isso. Basta lembrarmos das inúmeras histórias semelhantes que todos conhecemos, para perceber esta dura realidade. E vejam aqui uma das consequências desta realidade. E, feito isso, comparem agora com este fato sobre o extraordinário potencial humano que temos como nação.

Além de realizarem os contatos que solicito, peço também que convoquem amigos e demais interessados para fazer o mesmo.

Precisamos ver resultados. Não importa que sejam resultados pequenos. Mas precisamos de uma semente de esperança. Se conseguirmos vencer esta inércia, poderemos executar ações mais eficazes no futuro.

Os veículos principais que recomendo são os seguintes:

Revista Veja: veja@abril.com.br. As cartas enviadas à redação devem ser acompanhadas de assinatura, endereço, número da cédula de identidade e telefone do autor. 

Revista Época: epoca@edglobo.com.br. As cartas devem ser endereçadas a Natália Spinacé.

Revista Exame: webmasterexame@abril.com.br.

Jornal Nacional: Contato on-line. Exige cadastro.

Obviamente, outras mídias, além dessas, podem ser procuradas.

40 comentários:

  1. Eu sugeri você para ser entrevistado no Jô.
    (http://formsredeglobo.globo.com/Portal/forms/Formulario/0,,18305,00.html)

    Coloquei as seguintes informações:

    Entrevistado:
    Adonai Sant'Anna

    Telefone:

    E-mail:
    adonai@ufpr.br

    Assunto:
    Assunto da entrevista: o desperdício de intelectos no Brasil.

    Tema explorado por Adonai: crítica à educação brasileira e ao desenvolvimento científico nacional.

    Alguns depoimentos vinculados por Adonai: http://adonaisantanna.blogspot.com.br/2012/10/a-saga-de-um-fisico-tupiniquim.html e http://adonaisantanna.blogspot.com.br/2012/09/depoimento-de-um-superdotado.html

    Pequena biografia de Adonai: http://adonaisantanna.blogspot.com.br/p/sobre-o-autor-do-blog.html

    AAnooniimoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, AAnooniimoo

      Agradeço pela colaboração. Uma entrevista no programa do Jô Soares seria, talvez, interessante. Mas, mais importante do que isso, é chamar a mídia para realizar continuamente reportagens sobre os desperdícios de intelectos em nosso país. E, pior, este desperdício tem sido sistematicamente praticado em instituições de ensino.

      Excluir
    2. o que vc colocou no campo telefone?

      Excluir
    3. Ser entrevistado no programa "Roda Viva" seria mais interessante do que no programa do Jô Soares. Alguém sabe como eles escolhem os entrevistados?

      E aquele programa "Provocações"? Ainda existe? Não vejo televisão há muito tempo ...

      Abraços!

      Excluir
    4. Achei! Ainda existem ...

      http://tvcultura.cmais.com.br/provocacoes

      http://tvcultura.cmais.com.br/rodaviva

      Apesar de eu não assistir televisão, infelizmente, hoje, ela é um dos poucos veículos de informação para o povo. Com a perda contínua da habilidade de leitura e, consequentemente, das habilidades imaginativa e de concentração, seria muita ingenuidade de nossa parte acreditar que apenas textos, entrevistas em revistas, etc. poderão passar alguma informação para alguém.

      Temos que considerar que as pessoas não possuem a ferramenta "leitura" em sua caixa de ferramentas. Só assim conseguiremos imaginar formas de atingí-las. Nada que seja útil para aqueles que têm essa ferramenta disponível será útil para os que não a possuem.

      O ser humano já está embrutecido. Ele torna-se embrutecido poucos anos após seu nascimento e apenas consegue voltar àquele estado inicial depois de ter conhecido um mundo invisível de infinitas belezas. Depois disso, ele não mais consegue suportar essa realidade bruta, sem cores, sem emoções; apenas lixo, sujeira por todo o lado. Mas, apesar de a maior parte do tempo estarmos em contato com essa realidade, nunca mais nos conformaremos com ela, pois sabemos que outras possibilidades de realidade existem e nunca deixaremos de buscá-las. Desejaremos eternamente que elas façam parte de nossa vida.

      Sei muito bem disso, pois, enquanto estive embrutecido, essas "rebeldias" não me causavam qualquer emoção que conseguisse transformar um pensamento em ação. Poderia ficar chocado com a cena de violência em geral, mas aquilo não era o suficiente para mudar o rumo da minha vida. Logo depois, voltaria para minha busca pelos excessos e não pensaria mais sobre aquilo. Poderia até comentar com alguém, mas aquilo também não causaria mudança alguma dentro de mim, nem da outra pessoa. Poderia ler algumas partes dos "posts" deste blog ( partes, pois antes eu era incapaz de ler qualquer texto por inteiro ) e até me chocaria, mas não causaria mudança alguma em minhas atitudes cotidianas.

      Por enquanto, é isso ...

      Vamos lá!

      Abraços,

      João

      Excluir
    5. Como não sabia o telefone, teclei Alt+255 algumas vezes (caractere invisível). Segure o alt e aperte 2, depois 5 e depois 5 de novo. Daí solte o alt.

      AAnooniimoo

      Excluir
    6. Oi, João

      Não me recordo de você por aqui. Seja muito bem-vindo a este fórum. Permita-me, porém, estender sua proposta.

      Entendo sua crítica às mídias impressas. Mas o fato é que mídias diferentes atingem públicos diferentes. Se pudermos nos manifestar em jornais e revistas, ótimo. Se pudermos discutir criticamente em rádio e televisão, ótimo. Se pudermos alavancar ações pessoais e coletivas através da rádio daquela pequena cidade de dois mil habitantes, ótimo. Como sempre insisto, a sociedade opera em rede. Não podemos desprezar forma alguma de ação. Mas precisamos de ação.

      Você faz duras críticas a si mesmo. Excelente postura a sua. Mas suas críticas não se aplicam apenas a você. Elas servem a todos nós. Todos nós, sem uma única exceção, já falhamos em nossos compromissos sociais. Não importa quando despertemos. Apenas interessa que, uma vez acordados, efetivamente façamos a nossa parte hoje. Tenho quase 50 anos de idade. Quero um Brasil melhor para o meu filho. E isso só será possível se tivermos um Brasil melhor para todos aqueles que realmente querem trabalhar, produzir e criar.

      Excluir
    7. Olá, Professor!

      Realmente, ontem foi a primeira vez que escrevi alguma coisa por aqui. Há pouco mais de uma semana, conheci seu blog. Durante esse período, estive estudando seus maravilhosos textos, usando-os como um ácido para corroer o que resta da minha conformidade.

      Antes de mais nada, quero parabenizá-lo e agradecê-lo explicitamente por seu admirável trabalho e por sua vida: Parabéns! Obrigado!
      ( Quantas vezes uso essas palavras para valorizar gestos de violência contra mim e meus semelhantes. Hoje, quero usá-las em algo que seja coerente ao que acredito ser o significado delas. Ah! Que Alívio! )

      Agora, a resposta ...

      No meu texto, em nenhum momento quis dizer que deveríamos desprezar quaisquer tipos de mídia. Acho que toda ação é válida. Precisamos agir onde temos habilidade para tal.

      O que quis enfatizar é que necessitamos desenvolver novas abordagens, pois as que estamos utilizando servem apenas para os que já enxergam o que queremos mostrar. Com isso, a eficiência delas cai bastante, pois terminamos apenas por dar um "zoom" diferente em uma fotografia que todos já estão exaustos de tanto olhar.

      Uma nova abordagem seria uma que nem eu nem o senhor nem ninguém já conhece. Temos que nos unir para gerar uma ferramenta completamente diferente. Uma que ninguém ainda está habilitado a ensinar como utilizá-la.

      Posso estar equivocado, mas tenho a impressão de que esta ferramenta nascerá derivada da empatia. Mas, enquanto enxergamos a empatia apenas como um conceito abstrato, não conseguiremos produzir nada dela. Acredito que podemos desenvolver todo um novo paradigma a partir da destruição de todas as falsas seguranças que respaldam nossos atos cotidianos. Vejo que a abstração já nos isolou o bastante, a fim de não termos mais nenhum vínculo com uma linha de ação. Ela já se tornou uma segurança para muitos. E, pelo exemplo de nossos admirados revolucionários, temos que ser como crianças. Estas estão longe de seu centro de equilíbrio, odeiam o equilíbrio, não querem segurança. Refletem isso até em sua forma de andar.

      Bem, são muitas ideias embaralhadas ...

      Inicialmente, estou apenas provocando a mim e a todos. Faço isso, pois acredito que esse lugar aceite provocações. Caso esteja equivocado, por favor, avise-me. Não quero desrespeitá-lo.

      Mais uma vez, lhe agradeço pela atenção. Sinto-me muito bem por ter encontrado um ambiente hospitaleiro.

      Abraços,

      João

      Excluir
    8. João Muniz

      Fica tranquilo, pois em nenhum momento você desrespeitou pessoa alguma por aqui. Críticas não são apenas bem-vindas, mas constituem a essência do que queremos promover neste fórum. Tanto é verdade que você perceberá muitos comentaristas aqui que são radicalmente contrários a diversas ideias minhas. Na postagem

      http://adonaisantanna.blogspot.com.br/2012/01/como-nossa-educacao-contribui-para-o.html

      você encontrará alguns exemplos.

      Quando este blog começou, os comentários não eram moderados. Fui obrigado a moderar a partir do momento em que alguns leitores começaram a ofender a mim e a outros leitores, usando vocabulário chulo mesmo. Isso jamais foi permitido e jamais será. Que o resto do Brasil seja pervertido, mas nesta casa sempre haverá ordem. Passei a moderar, mas ainda mantive a possibilidade de comentários anônimos. O anonimato de certos leitores é uma ferramenta que considero fundamental. Isso porque existem muitas pessoas que precisam denunciar ou simplesmente desabafar, mas que estão sujeitas a represálias. Aqui elas encontram um espaço apropriado.

      Acredito que entendo sua colocação sobre a necessidade de novas abordagens para a conscientização do brasileiro. Tenho pensado sobre isso há muito tempo. E sempre tenho pedido por sugestões de leitores. Por isso, sinta-se livre para apresentar ideias a qualquer momento.

      Excluir
  2. poderíamos fazer uma campanha mandando muitos emails para o programa do JÔ pedindo para entrevistar o professor Adonai ... no site do programa tem um campo "sugestão de pauta"

    ResponderExcluir
  3. Mandei para a Folha de São Paulo e para a RPC TV (Paraná). Já estou enviando aos outros. Também indiquei para amigos das redes de televisão, rádio, revistas e jornais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente, Susan. Não esqueça de convocar amigos para fazerem o mesmo. Um aluno meu, por exemplo, fará contato com mídias locais do interior do estado.

      Excluir
    2. Já fiz isso, e coloquei em diversos grupos do face ligados à educação e mídias. Avisei diversos alunos que trabalham com isso. Também enviei para a Gazeta do Povo, revista CULT, Piauí, Bravo e sites de educação. No face coloquei como mensagem para alguns políticos como Greca, Vanhoni, Meirinho, etc..

      Excluir
    3. Uau, Susan!

      Muitíssimo obrigado. Já notei que em poucas horas esta postagem ficou entre as mais visualizadas do mês. Grato gratíssimo!

      Excluir
    4. De nada. Como eu sempre disse, respeito e admiro seu profissionalismo.

      Excluir
    5. Olá, Profs. Susan e Adonai!

      Seria ótimo conseguir chamar atenção do Sr. Reinaldo Azevedo sobre as questões tratadas aqui.

      Ele possui um blog no site veja.com. Não sei se ele possui um e-mail pessoal público, mas, além do blog, ele possui uma conta no twitter.

      Acredito que, se muitas pessoas pedirem para ele acessar o blog do Prof. Adonai nos comentários de seu blog e em seu twitter, ele acabará entrando e apoiará a causa.

      http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

      https://twitter.com/reinaldoazevedo

      Obrigado pela atenção!

      Excluir
    6. Adonai, parece que tem mais gente lutando para a boa educação.. Convidei a Tatiana Nahas para entrar em contato com vc. E enviei o endereço do seu blog para ela, como faço com o dela para vc: http://ciencianamidia.wordpress.com/

      Excluir
    7. Susan e João

      Assim que eu receber contatos, avisarei imediatamente no blog. Enquanto isso, vou investigar Reinaldo Azevedo. Já tentei contato com outros blogueiros conhecidos, mas ainda não tive retorno. Por isso, a pressão se mostra fundamental. Normalmente figuras públicas podem não responder a certos apelos, simplesmente porque muita gente tenta falar com elas e nem sempre é fácil depositar imediata confiança. Conto com o apoio de todos e agradeço pelas iniciativas já encaminhadas. Veremos o que um grupo motivado e sério é capaz de realizar.

      Excluir
    8. João e demais colaboradores

      Acabo de postar na página facebook do jornalista Reinaldo Azevedo, em http://www.facebook.com/pages/Reinaldo-Azevedo/102285684838

      O texto fica minúsculo lá. Recomendo que insistam.

      Excluir
    9. Sim, nessas páginas, a única forma de se tornar visível é enviar variações de uma mesma mensagem por diferentes direções. Podemos usar a estratégia de um compositor sério: Criar variações de um tema para gerar diferentes emoções, mas que retransmitem a atenção para o foco, como uma parabola. Dessa forma conseguiremos respeitar o local e nos diferenciar de apenas mais um SPAM.

      Excluir
    10. Ontem, consegui ser o primeiro a comentar o post do Reinaldo Azevedo ( http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/e-hoje-leitores-do-rio/ ). Este foi o comentário:

      Olá, Sr. Reinaldo Azevedo!
      Admiro muito seu trabalho. Compartilho de muitas de suas opiniões. E, por isso, lhe convido para conhecer o trabalho que está sendo desenvolvido pelo Prof. Dr. Adonai Schlup Sant’Anna, do Departamento de Matemática, da UFPR ( http://lattes.cnpq.br/4915422454950372 ). Em seu blog, ele trata da realidade da educação brasileira.
      Perdoe-me por usar esse espaço para fazer propaganda disso, mas acredito que o senhor é um dos poucos brasileiros que ainda é capaz de compreender essa causa. Peço seu apoio. Visite o blog e conhecerá algumas pessoas que buscam consertar a sociedade usando as ferramentas que foram capazes de construí-la um dia.
      http://adonaisantanna.blogspot.com.br/
      Parabéns pelo seu novo livro! Conheci seu trabalho lendo a revista Primeira Leitura. Desde aquele momento estou sempre lhe acompanhado. Obrigado pelo maravilhoso trabalho que vem oferecendo à população brasileira.
      Muita força!
      Agradeço, desde já, por sua atenção.
      Abraços,
      João Muniz

      Vamos lá!

      Precisamos agir sempre com sinceridade, pois tudo que odiamos é fruto da falta de verdade.

      Excluir
    11. João Muniz

      Você é realmente uma figura ímpar. Seu paralelo entre propaganda e composição de música me pareceu muito feliz. Até li seu comentário para o meu filho, que é músico. Ele realmente gostou. Vivendo e aprendendo. Sempre fui um péssimo vendedor. Mas, aos poucos, vou assimilando novos conceitos.

      Novamente agradeço pela sua importante colaboração. Apenas alerto que não atualizo meu currículo Lattes há anos, justamente porque tenho tentado me afastar da universidade. Futuramente, quando quiser divulgar meu résumé, use preferencialmente a página Sobre o Autor do Blog em

      http://adonaisantanna.blogspot.com.br/p/sobre-o-autor-do-blog.html

      No entanto, do que realmente faço questão (pelo menos neste momento) é a veiculação da ideia de que estamos jogando talentos no lixo, em nosso país. Se conseguirmos isso, aí teremos mais força para prosseguir com outras ideias. Ou seja, em um primeiro estágio apresentamos o diagnóstico da educação e da ciência brasileira. No estágio seguinte apresentaremos sugestões para o tratamento desta doença da inércia brasileira.

      Excluir
    12. Muito obrigado, professor!

      Um elogio seu, emociona-me muito, deixa-me muito feliz. Com o pouco que conheço do senhor, já lhe admiro muito.

      Sobre o Currículo Lattes. Usei-o apenas como uma referência de seriedade. Afinal, para nós, que valorizamos coisas muito diferentes dessas, ele não vale nada, mas para a grande maioria da população esse tipo de coisa vale muito. Assim como a kryptonita não tem efeito nenhum em seres humanos normais, mas tem um efeito devastador contra o Super-homem, o que não nos significa nada pode significar muito para outros que têm formas de pensar e agir diferentes. Na busca pelo bem-estar, não precisamos descartar as coisas, precisamos apenas mudar o jeito de utilizá-las. A forma muitas vezes esconde a função das coisas.

      Abraços,

      João

      Excluir
    13. De qualquer forma, entendi seu alerta e seguirei suas orientações.

      Obrigado!

      Excluir
    14. João Muniz!! Bem-vindo. Precisamos de sangue novo! Sou mais velha que o Adonai e apesar de me considerar mais positiva e lutadora (que ele), vejo que suas ideias são excelentes! Creio que há grande possibilidade de mobilização para o refletir! Temos também que pensar em boas sugestões de mudanças para a educação, além das propostas pelo Adonai.
      Ou seja, solicitar mudanças, mas também propor ideias. Creio que mais cedo ou mais tarde teremos que nos organizar pessoalmente também. O que acham?

      Excluir
  4. Estimado Adonai,
    conte comigo. Existe muitas pessoas talentosas em diversas áreas que precisão de oportunidade. Dá uma olhada neste vídeo:
    http://www.youtube.com/watch?v=3j-urB7QMSg

    Um abraço,
    G. Maicá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vídeo realmente surpreendente, Gilson. Brilhante exemplo!

      Excluir
  5. Olá, Professor!

    Acho que o senhor gostará de conhecer estes meninos:

    http://jacobbarnett.org/ ; http://www.youtube.com/watch?v=Uq-FOOQ1TpE ;

    http://the-scientist.com/2012/10/01/like-father-like-son/ .

    Abraços. Até breve!

    João

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, João

      No momento estou com problemas de conexão de internet (muito lenta). Assim que puder, certamente verei os vídeos.

      Excluir
    2. Mama Mia! Pimbas, João!

      Ainda estou lendo os links. Mas acabo de ver o vídeo de Jacob Barnett. Realmente extraordinário. Um garoto como esse simplesmente morreria no Brasil. Nasceu no lugar certo.

      Excluir
    3. O que me preocupa, no entanto, é que ele me parece muito alucinado.

      Excluir
    4. É, acho que ele ainda acredita que não está numa guerra. Então, ainda não construiu sua armadura.

      Como ele tem uma capacidade absurda de criar milhões de ideias num curto intervalo de tempo, ele sobrepõe uma ideia sobre outra que não teve o êxito esperado.

      Ele não consegue parar de amar, apesar de todos tentarem mostrar-lhe que isto é inútil. Por isso, talvez, pareça alucinado.

      Excluir
    5. Seja como for, o garoto certamente precisa de acompanhamento psicológico. Há vários programas sérios de adaptação de superdotados à sociedade nos EUA. Jacob Barnett me lembra muito William Rowan Hamilton. Hamilton também foi criança prodígio (no nível de Barnett) e seu originalíssimo trabalho sobre quaternions se consagrou no mundo todo.

      Excluir
  6. Pessoal: mais uma possibilidade de ação:
    Olá Susan. Para enviar alguma sugestão de pauta para a TV Brasil acesse http://tvbrasil.ebc.com.br/contato e selecione o programa desejado. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente sugestão, Susan. Daqui a pouco vou examinar meus e-mails, para ver como andam os contatos.

      Excluir
  7. Caros

    Acabo de examinar as estatísticas do blog. Nas últimas 24 horas houve 11 visualizações vindas diretamente a partir do servidor da Revista Veja. Resta saber agora se o tema interessa a este periódico. Recomendo que insistam com eles. Afinal, já sabemos que ele sabem.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Professor!

    Este cara: http://www.youtube.com/user/OtarioAnonymous/ , está fazendo várias denuncias.

    Ele está com uma média de 150 mil visualizações.

    Acredito que ele poderá interessar-se pelo que é denunciado aqui nesse blog.

    Lembrei também do Marcelo Tas. Ele pode interessar-me por este trabalho também. Vamos procurar formas de contatá-lo.

    Abraços,

    João

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou inscrito no canal OtarioAnonymous. Grato pela dica.

      Excluir
  9. Links de contato ( Marcelo Tas):

    http://blogdotas.terra.com.br/

    https://twitter.com/MarceloTas

    https://www.facebook.com/MarceloTas

    http://www.marcelotas.com.br

    https://plus.google.com/+MarceloTas

    ResponderExcluir
  10. Maravilhosas e valiosas dicas Muniz.. estou tentando fazer vários textos diferentes do assunto, além de buscar imagens impactantes para serem colocadas junto... Valeu!!

    ResponderExcluir

Respostas a comentários dirigidos ao Administrador demoram usualmente até três dias.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.