sexta-feira, 8 de maio de 2015

PT e Satanás


Não faz parte do perfil deste blog a promoção de discussões de caráter político partidário. No entanto, preciso abrir uma exceção. A partir do momento em que aqui se discute sobre matemática e sociedade, não vejo mais como ignorar a atual situação política de nosso país, uma vez que ela afeta de maneira marcante diferentes segmentos sociais, incluindo ciência e educação. 

Sim. A bola da vez, o Partido dos Trabalhadores (PT), é o mal encarnado e institucionalizado. Não é por acaso que o símbolo deste partido seja uma estrela vermelha de cinco pontas. O PT é definido por membros e simpatizantes de índole radical, reacionária, intolerante, irracional, doutrinária e socialmente ácida. E Lula é o Anti-Cristo. Não são os casos escandalosos de corrupção, amplamente noticiados, que definem o PT. Os lucros da corrupção são apenas bônus para uns poucos membros do partido. É tão somente o extremo radicalismo em conjunção com a insaciável sede por poder que forja e alimenta o PT, o partido vermelho como o Diabo. 

Se o leitor não percebeu o tom irônico do parágrafo acima, então não conseguirá entender também o texto que segue abaixo. Nada posso fazer para ajudar. Então nem pense em responder a esta postagem.

Por que o PT é o mal? Por vários motivos mas, principalmente, porque o PT é um partido político brasileiro de poderosa e persistente influência. É um partido político que conquistou considerável influência nos últimos doze anos e que tem despertado atenção redobrada, por conta de denúncias de corrupção e de transações suspeitas com nações estrangeiras. Mas ainda é apenas um partido político. Quem lembra da Aliança Renovadora Nacional? Este foi outro partido que demonstrou a mesma sede pelo poder. Era o partido de sustentação política para o regime militar durante a ditadura. Um dos discursos recorrentes de militares ligados à ARENA era a paz social, a qual foi imposta, na prática, com tortura.

PSDB, PDT, PSOL, PV e todos os demais, no amalucado universo de 32 partidos registrados no TSE, têm exatamente o mesmo sonho molhado: conquistar e demonstrar poder. Mas este poder não é necessariamente em favor de ideais coletivos. Prova disso é o troca-troca de siglas entre deputados e senadores. Comumente a migração de "representantes do povo" converge para partidos com maior representatividade em casas como assembleias, câmaras e senado. Ou seja, o universo que define a política brasileira não é propriamente um universo de ideias e ações construtivas para a sociedade, mas de influências e demonstrações de poder.

Comparemos a política partidária brasileira com o decadente futebol de nosso país. O trecho que se segue foi extraído de um fórum do UOL:

"Os cartolas demagogos de plantão vivem dizendo que o maior patrimônio de um clube é a sua torcida. A frase é verdadeira. O problema é que eles falam isso da boca pra fora. O torcedor nunca é levado em consideração na hora de decidir sobre o time."

Já o trecho que se segue é de uma postagem no Facebook:

"O maior patrimônio de um país é o seu povo. Mas o que ocorre com as três esferas da administração pública que não investe no seu povo! [...] um povo sem educação, abandonado a sua própria sorte."

Agora vejamos esta outra afirmação de uma atleticana:

"O atleticano não torce por um time, torce por uma nação. E tal qual em uma guerra, um cidadão não renega um país. Mesmo que a derrota seja grande, o atleticano apoia seu time na derrota, pois os obstáculos engrandecem seu sentimento de nacionalismo."

E agora comparemos com este discurso de um deputado do PT:

"Não somos apenas um partido político. E vocês sabem disso. Quem é petista, como eu, sabe que não carregamos uma bandeira por acaso, e que não colocamos uma estrela no peito apenas para estampar o número de um candidato. Não amamos o PT, mas a ideia. E não adianta: ninguém consegue destruir uma ideia tão viva, tão humana, tão real."

Qualquer devaneio de imortalidade nada tem a ver com racionalidade ou bom senso. E, sem racionalidade, decisões acertadas dependem de mero acaso. 

Tenho percebido um perturbador fenômeno que fica muito claro em redes sociais como o Facebook, e que já começa a atingir até mesmo este blog: verdadeiras batalhas entre simpatizantes de esquerda e de direita, parecidíssimas com confrontos entre torcedores de futebol. E, enquanto torcedores ofendem e agridem uns aos outros, empresários faturam milhões com futebol. Enquanto simpatizantes do PSDB e do PT ofendem e agridem uns aos outros, inúmeros políticos e governantes praticamente abandonaram o seu país, concentrando esforços apenas em benefício próprio. 

É evidente que existem diferenças ideológicas entre partidos políticos, assim como existem diferenças fundamentais entre times de futebol. Mas futebol é apenas "válvula de escape" para parcela significativa da população. No entanto, política partidária é algo que define rumos de nossa nação. Por conta disso, é melhor pararmos de tratar partidos políticos como encarnações de ideologias que devem sobreviver, custe o que custar. Um partido político não é um time de futebol! (Repita isso cinco vezes diante do espelho.)

Definitivamente o PT não é a raiz dos problemas que o Brasil enfrenta, apesar de infindáveis discursos que ouço e leio sobre isso. Esta raiz está em cada um de nós, brasileiros. Qualquer pessoa que não consiga ver os benefícios que o PT trouxe para o nosso país é tão cega quanto aquela que garante que este partido é a única esperança para um Brasil socialmente justo. 

Nenhum partido político merece tanta devoção. Nenhuma pessoa merece tanta paixão ou tanto ódio vindo das massas, seja Lula, Dilma ou Fernando Henrique Cardoso. 

Dane-se o PT! Dane-se o PSDB! Danem-se os radicais de esquerda e os radicais de direita! Danem-se todos os miseráveis de espírito que dependem da vitória alheia para se sentirem bem consigo mesmos! Quando Lula assumiu a Presidência da República pela primeira vez, aquilo foi um belíssimo exemplo democrático do Brasil para o mundo. Mas este exemplo jamais deveria ser motivo para enaltecimento de Lula. Admiração, talvez. Mas nada além disso. Lula erra sim. E, se erra, deve assumir seus erros e abrir espaço para novas ideias, novas políticas. E o mesmo vale para qualquer governante. 

Quer defender algo até a morte? Defenda os seus filhos! Seus filhos precisam de um futuro em um país equilibrado, sóbrio, saudável, que abrace o futuro de seus netos e bisnetos. 

Ninguém mais dá a mínima para a ARENA! Isso porque a ARENA jamais foi importante a longo prazo. E, da mesma maneira, um dia o PT será apenas uma lembrança, assim como todos os demais e mesquinhos partidos políticos deste país. Mas nossos filhos viverão nessas terras, assim como os filhos deles. E o exemplo que definirmos hoje será fundamental neste futuro que nós mesmos jamais veremos. 

Se a revista Veja é politicamente tendenciosa, infeliz esquerdista, que tal você ler um bom livro e conversar com o seu filho sobre aquela obra? Se a Rede Globo é manipuladora das massas, que tal levar o seu filho a um bom museu? Se a Presidente da República acha que sua condição de mulher é tão importante a ponto de se auto-intitular de Presidenta, infeliz direitista, que tal colocar o seu filho em contato com diferentes discussões sobre gênero? Qual lealdade é mais importante: a lealdade partidária ou a lealdade ao seu filho?

Brasil é um país ignorante, de gente ignorante. Chega disso! Revoluções existem sim e são fundamentais. Mas as revoluções mais duradouras são aquelas feitas silenciosamente, sem gritos, sem ofensas intencionais, sejam físicas, morais ou psicológicas.

Teorias científicas revolucionaram o mundo: teoria da evolução, teorias da relatividade, física quântica, teoria dos conjuntos. Darwin, Einstein, Planck e Cantor não precisaram gritar ou ofender pessoas para impor suas ideias científicas e filosóficas. Ninguém precisou criar uma bandeira para a teoria da relatividade ou para a física quântica. Ideias sensatas vencem naturalmente, com o exemplo do benefício social, da construção. 

Se tem bandeira, é melhor que seja futebol. Se existe a honesta pretensão de um Brasil melhor, é de ideias e ações construtivas que precisamos. Não importa se essas ideias surgem de um petista ou de um cientista. Se a ideia é boa, ela naturalmente vencerá. Mas enquanto houver gente gritando em favor de bandeiras, será difícil sequer ouvir as ideias. E este Brasil está se transformando em uma terra ensurdecedora. 

115 comentários:

  1. "Ideias, e somente ideias, podem iluminar a escuridão." Mises

    http://www.mises.org.br/EbookChapter.aspx?id=44

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ofensas aos outros também são ideias? E hipocrisia?

      Excluir
    2. Mais um excelente texto Adonai.

      É o que muitos falaram aqui. Mas infelizmente o fanatismo cega as pessoas.

      Excluir
    3. Livros de fato são bem melhores do que trechos de sites

      Excluir
    4. Calma, calma, calma. A diferenciação entre fanatismo e paixão é uma questão em aberto. Este blog é um fórum mantido por pessoas que desejam atingir as mesmas metas. Se existem inimigos que tentam impedir a realização dessas metas, nenhum deles comenta sistematicamente neste blog.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Pelo texto publicado vejo que entendes sobre campo energético de humanos. As ideias são campos energéticos muito potentes. Elas se disseminam a partir dos humanos. Não posso dizer que sua origem sejam nos humanos. Afinal origem pode ter uma noção relativista.

    ResponderExcluir
  3. Professor, seu texto é de uma lucidez sensata. E isso falta muito nos debates entre as pessoas. Creio que todos temos percebido esse extremismo, de esquerda e de direita, enquanto "eles" estão no poder e a gente aqui em baixo sofrendo. Parece-me que tudo no Brasil se "futeboliza". Posso falar por mim que no início de toda essa crise era anti-petista ferrenho, até deixei de falar com algumas pessoas, talvez pelo calor do momento e ignorância minha. Mas hoje, eu vejo que não há lados, e sim posições dentro do jogo sujo da política institucional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uilmar

      E você acha que eu também já não caí nessa armadilha? Só que esta histeria de esquerdistas versus direitistas está ficando realmente cansativa. E no meio disso tudo as pessoas simplesmente deixam de aprender e até de viver.

      Excluir
  4. Adonai

    Acabei de ser xingada devido ao seu post. Envie ele para diversas pessoas, no caso o remetente sequer leu o texto e simplesmente através do título achou que eu estava associando os dois...

    Isso só demonstrou na prática o que você ressalta no texto: não existe a capacidade nem a leitura quanto mais de algum raciocínio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, Mariia. Não creio que você esteja surpresa. A norma é a anormalidade.

      Excluir
    2. Na verdade, fiquei surpresa como a tua observação ",,,Se o leitor não percebeu o tom irônico do parágrafo acima, então não conseguirá entender também o texto que segue abaixo. Nada posso fazer para ajudar. Então nem pense em responder a esta postagem..." foi premonitória...



      Excluir
    3. Pois é. Os modos de pensar de certas pessoas não são tão difíceis de serem antecipados. Do lado de fora elas se parecem com fanáticos. Mas, na verdade, são bastante enfadonhas.

      Excluir
  5. Acho que a principal diferença entre ARENA e o PT é que o primeiro não tinha respaldo popular. E a principal diferença entre revoluções sociais e revoluções científicas é que as segundas mexem com realidades associadas a interesses econômicos e justiça e as primeiras não. Por isso, as revoluções sociais geram tantos gritos ensurdecedores.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. errata: Onde está segundas leia-se primeiras. E vice-versa.

      (Brasileiro)

      Excluir
    2. Anônimo

      Existe um outro fator importante na comparação entre revoluções científicas e revoluções sociais. Por alguma razão pessoas tendem a julgar que são espertas o bastante para compreender mais facilmente ideologias do que ciência. Mas este é um erro. A compreensão de fenômenos sociais exige muito mais do que senso comum.

      Excluir
    3. É verdade Adonai. Talvez isso ocorra porque as ideologias afetem mais direta e imediatamente a vida das pessoas.

      (Brasileiro)

      Excluir
    4. Ou talvez porque as pessoas apenas *sintam* que ideologias afetam mais direta e imediatamente a suas vidas.

      Excluir
    5. E talvez tenham razão. Que o digam os judeus que sentiram os efeitos da ideologia nazista, os negros que sentiram os efeitos da ideologia subjacente ao apartheid, os milhões que *sentiam* fome no Brasil dominado politicamente pela ideologia neoliberal, etc. Que as ideologias afetam, afetam.

      Para uma compreensão mais analítica de tudo isso e de como as ideologias afetam a vida das pessoas e quais ideologias são nocivas e de como se livrar delas de maneira racional (sem tanta gritaria irracional), seria necessária um grande avanço na democratização dos meios de comunicação e uma profunda reestruturação do sistema educacional. Mas fazer isso é muito difícil, até porque teríamos que superar algumas ideologias enraizadas na nossa sociedade.

      (Brasileiro)

      Excluir
    6. Uma pergunta: por que o "Brasileiro" entre parênteses?

      Excluir
    7. "Democratizar" dos meios de comunicação, seja lá o que isso signifique, é uma das teses do establishment...

      Adonai, um vídeo que pode lhe interessar:

      youtu.be/SS3JTCX2Etc

      Excluir
    8. Krishnamurti

      Confesso que estranhei o discurso de democratização dos meios de comunicação. Mas estranhei mais a sugestão de superação de *algumas* ideologias. O vídeo indicado é ótimo. Pena que sejam tão poucos os que conseguem discutir sobre o tema de forma tão sóbria quando Ives Gandra Martins.

      Excluir
    9. Talvez as ideologias que são nocivas sejam as mesmas daqueles que desejam ardentemente "democratizar" os meios de comunicação, e daí se devesse se livrar delas de maneira racional...

      Excluir
    10. Krishnamurti e Adonai (e demais participantes do blog), já que o PT aparece no título da postagem,trago à baila a seguinte sugestão: que tal analisarmos as propostas deste partido por meio de suas próprias palavras? Segue o texto retirado do site do PT (bem interessante, por sinal):

      http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2015/04/TESES5CONGRESSOPTFINAL.pdf

      Adolfo

      Excluir
    11. Esse caderno traz "teses" estupefacientes...


      http://www.institutoliberal.org.br/blog/o-caderno-de-teses-do-pt/

      Excluir
    12. Adolfo

      O documento que você apresenta reforça a tese defendida na postagem. Consequentemente, aumenta meu desânimo com este país.

      Excluir
    13. Pois é, no vídeo o Ives Gandra diz que "a imprensa são os pulmões de uma democracia". Hoje a imprensa brasileira pertence a pouco mais de 10 famílias. Isso demonstra o quanto precisamos avançar quando o assunto é democracia e como é importante democratizar os meios de comunicação. Se levarmos em conta que esse oligopólio midiático defende um mesmo ponto de vista político concluiremos que não só precisamos avançar muito, mas com urgência.

      (Brasileiro)

      Excluir
    14. Bem, a imprensa é conhecida também como o quarto poder. Isso pressupõe a existência de outros três poderes. Um deles é a justiça. Se há abusos da imprensa, ela deve responder perante a justiça. A democratização não é uma injeção aplicável a um único segmento social. Sem um equilíbrio entre poderes, não há democracia.

      Mas a curiosidade continua. Por que "(Brasileiro)"?

      Excluir
    15. Quem está genuinamente preocupado com a democracia brasileira e concorda que a imprensa representa os pulmões da democracia não deve concordar que essa imprensa seja propriedade de cerca de 10 famílias (e que para cúmulo defendem o mesmo ponto de vista sobre política, economia e sociedade). Quanto à justiça, ela pode eventualmente resolver alguns casos pontuais de abuso da imprensa, mas não é um instrumento efetivo para realizar essa tarefa em larga escala e a realidade nos mostra isso cotidianamente. A comunicação precisa ser urgentemente democratizada. Os pulmões da democracia brasileira não podem mais continuar nas mãos de 10 famílias.

      "(Brasileiro)" é para que se possa identificar diferentes comentários que eu venha a escrever e escolhi esse porque gosto e me orgulho de ser brasileiro.

      (Brasileiro)

      Excluir
    16. Democratização por meio de uma imprensa aparelhadas por partidos políticos? Como diria Padre Quevedo: Isso non ecziste!

      Excluir
    17. Os pulmões da democracia brasileira estão nas mãos de cerca de 10 famílias e, como não poderia deixar de ser nesse caso, estão aparelhados por partidos políticos. Há centenas de exemplos que demonstram isso. Menciono três nesse momento:

      1) Em editorial de 2010 do jornal O Estado de São Paulo (também conhecido como "Estado" ou "Estadão") leu-se: ""com todo o peso da responsabilidade (...), o Estado apoia a candidatura de José Serra à presidência da República".

      2) Declaração feita em 2010 por Maria Judith Brito, então presidente da Associação Nacional dos Jornais e executiva do jornal A Folha de São Paulo: "[os] meios de comunicação estão fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada.”

      3) Entrevista em que José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, então do corpo executivo da TV Globo, admite com todas as letras e detalhes como manipulou um decisivo debate entre os então candidatos a presidência da República Lula e Collor, em favor desse último, obviamente: https://www.youtube.com/watch?v=VrpurEkmJkU

      Os meios de comunicação precisam ser democratizados e uma das principais razões disso é justamente para que deixem de ser aparelhados por partidos políticos, como claramente o são.

      (Brasileiro)

      Excluir
    18. Ai chegam os fanáticos e vão postando informações destes meios de comunicação como verdades absolutas. E atacam com tremenda estupidez aqueles que argumentam e questionam estas.

      Como alguém disse no Facebook: "Os partidos políticos logo criarão sócios-torcedores no lugar afiliados".

      Excluir
    19. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    20. "Democratizar" deve ser publicar somente o que se quer, uma espécie de mídia cativa, tipo o granma, pois imprensa "democratizada" é aquela que não tem liberdade pra tomar partido do que bem entenda por certo e muito menos deve contrariar a ideologia de quem é o detentor as virtudes...

      E enquanto não se "democratiza" a mídia livre, se mantém uma a soldo com o erário...

      "Petrobras, BB e Caixa lideram gastos de publicidade para mídia alternativa"

      http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2014/12/17/petrobras-bb-e-caixa-lideram-gastos-de-publicidade-para-midia-alternativa/

      Excluir
    21. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    22. Quem hoje faz esse tipo de peça de marketing terrorista não tem a mais ínfima moral pra reclamar que caiu num truque de marketing bobo no passado, e num debate no qual era opcional participar...

      A primeira propaganda terrorista chegou a ser proibida pelo TSE.

      youtu.be/vXbGysfeVNI

      youtu.be/BQMDvg53VcM

      Excluir
    23. Adonai, quem faz lista negra dos poucos jornalistas e humoristas que ousam enfrentar a horda tem mesmo alguma chance de ser democrático?

      «Ajudem a espalhar: chefão do PT pede abertamente a cabeça de jornalistas na página do partido. Estou na lista. não sei o que farão os outros. Estou anunciando aqui que vou processar o Sr. Alberto Cantalice por calúnia e difamação. Cabe indagar se chefão petista não está dando uma ordem para que essas pessoas sejam agredidas nas ruas. É preciso cuidado! Ele é do partido a que pertencia Celso Daniel!»

      http://abr.ai/1JFNLOv

      Aqui o link do site da própria organização criminosa:

      http://www.pt.org.br/alberto-cantalice-a-desmoralizacao-dos-pitbulls-da-grande-midia/

      Excluir
    24. Adonai, entre eles, isso é pregado aberta e descaradamente, se você já participou de assembléias sindicais deves saber...

      «O PT tentando conquistar a última trincheira: vejamos a obsessão de um dos sindicatos do PT em implementar a ditadura via controle de mídia»

      «O jornal do sindicato usa o embuste de dizer que 70% da mídia pertence a menos de 10 famílias, citando os casos de gente como Sílvio Santos, a família Marinho e Edir Macedo. Isso é verdade, mas para a maior parte dos ramos de negócio, temos uma larga fatia destinada a alguns poucos empresários. Em todos os casos, é parte da democracia existir a preferência das pessoas por algumas organizações.»

      «Mas esperem. Vejam as perguntas que ele não responde:

      Qual diversidade tem sido bloqueada pela mídia atual do Brasil?

      Qual pluralismo tem sido restringido pela mídia atual do Brasil?

      Quem está tendo seu direito violado à consciência? Qual grupo em específico?

      Se há um enfoque único nas ideias, qual enfoque é este? Qual deveria ser o enfoque?

      Se há indução de uma só posição, qual é essa indução? Qual é a outra posição que deveria ser induzida? Ou outras?»

      http://bit.ly/1JFOG1j

      Excluir
    25. «Por uma verdadeira lei de mídia democrática»

      «Para entender o que “regulação” significa, no léxico da extrema-esquerda bolivariana (conforme ocorreu na Venezuela e na Argentina), as seguintes diretrizes são aplicadas:

      Investimento brutal do governo em anúncios na mídia (uso da máquina estatal);

      Proibição e limitação de anúncios privados (redução do poder dos anúncios privados, para aumentar a dependência da mídia aos anúncios estatais);

      Sob o falso discurso de “quebra de monopólio”, fatiamento de grandes empresas de comunicação em várias empresas menores (para torná-las cada vez mais vulneráveis ao anúncio estatal);

      Estabelecimento da censura sutil em larga escala, a partir da pressão econômica causada pelo estado nos meios de comunicação (tudo, é claro, pelo uso do anúncio estatal).»

      http://bit.ly/1JFPraK

      Excluir
    26. Krishnamurti

      Por favor, ja que admira tanto o Adonai leia a frase: "Enquanto simpatizantes do PSDB e do PT ofendem e agridem uns aos outros, inúmeros políticos e governantes praticamente abandonaram o seu país, concentrando esforços apenas em benefício próprio."

      E pare de fazer este blog de palanque politico

      Excluir
    27. Adonai, estou fazendo deste blog palanque político?

      Será que as escolas e universidades deste país, pelo menos nas últimas 5 décadas, vêm explicitamente sendo feitas de palanques políticos e antros de doutrinação?

      «Uma geração de doutrinados»

      http://bit.ly/1166wSQ

      Excluir
    28. Krishnamurti

      Acho muito difícil alguém opinar sobre política sem defender uma posição política.

      Excluir
    29. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    30. De certo, mas defender uma posição política é o mesmo que fazer palanque político?

      Caso seja, então todos o fazem por aqui.

      E o mais engraçado é que algumas dessas posições defendidas com tanto ardor são as mesmas do establishment, o qual vem se mostrando bastante deletério ao país e também à América Latina.

      Excluir
    31. Krishnamurti

      Rodrigo tem toda razão, é difícil falar contigo de uma forma adulta. Tudo o que discordamos você vai chorar pro Adonai. Um papel ridículo e infantil.

      Já até imagino sua próxima postagem "Adonai eu tenho sido infantil nesse blog?"

      Mas uma coisa concordo com você. Nenhuma escola deve fazer doutrinação política, especialmente em alguns livros didáticos, com tem sido feito ultimamente. Por isso não acho certo fazer politicagem em lugares em que isso não é conveniente.

      Se você de fato quer defender uma posição política honesta, por que não fala a respeito de diversos problemas dos partidos de direita? E não são poucos.

      Eu não gosto de nenhum dos lados, acho como na postagem acima que todos estão interessados em poder. Por isso não satanizo nem idolatro nenhum deles.

      Meus comentários são baseados em coisas que vivencio, leio e escuto e principalmente reflito, E nem fico postando links de videozinhos pra querer empurrar ou justificar minhas ideias.

      Este é meu último comentário político por aqui. Vou só comentar aqueles relacionados às postagens de Matemática do blog que são excelentes.

      Se o Adonai que é o dono do blog admite politicagem gratuita e infantilidade da parte de alguns é direito dele. Eu me abstenho de comentar enquanto você e outros tiverem esta atitude patética. E não estou me fazendo de vítima não, antes que você insinue. O mundo em que vivo não é de fantasias. Se você quer ser respeitado, aprenda que você nem ninguém é o dono da verdade.

      Excluir
    32. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    33. Partidos de direita em banânia...

      Vídeos não manipulados mostram fatos...

      Não insinuo nada, explicito, só deixa de entender quem quer...

      Excluir
    34. Só falta provar que evidências são mentiras...

      Excluir
    35. Adonai, olha aí a tal "democratização" com que os totalitários sonham, quem escreveu este texto foi o mesmo pulha que aparece com camisa vermelha na foto ao lado do crápula zé dirceu quando este foi preso por ordem do STF:

      http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/183065/Futebol-pode-ser-vetor-de-democratiza%C3%A7%C3%A3o-da-m%C3%ADdia.htm

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. (Brasileiro), como exatamente seria, em sua opinião, essa democratização da imprensa? Pergunto porque sempre defendi a democratização da educação, no sentido de viabilizá-la sem restrições a qualquer pessoa. A sua proposta de democratização da imprensa seria realizada por intervenção do Estado ou por um processo educacional e, portanto, gradual? Quero ter certeza de que estamos falando do mesmo assunto.

    ResponderExcluir
  8. Atuação do Estado com participação da sociedade. A imprensa concentrada como propriedade de cerca de 10 famílias e agindo partidariamente é um entrave para a evolução da educação. E aqui não me refiro somente a uma visão reducionista de educação como aquela formal obtida nos bancos escolares, mas num sentido mais amplo e completo que tem a ver com o acesso à informação sobre o mundo em que vivemos e à interpretação e análise dessa informação. Nno Brasil, essa informação, bem como sua interpretação e análise, estão nas mãos de um grupo formado por cerca de 10 famílias e o restante da população (mais de 200 milhões de pessoas) veem o mundo pela ótica determinada por aquele grupo. Isso é profundamente antidemocrático e contrário ao desenvolvimento educacional do país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta acima foi de (Brasileiro)

      Excluir
    2. Prof. Adonai,
      Em complementação ao que foi colocado pelo "brasileiro", seria interessante considerar que os grande grupos de mídia e comunicação concentram mais da metade das verbas publicitárias estatais. Talvez a resistência contra a regulamentação do setor também tenha a ver com eventual perda dessa receita.
      Saudações a todos (menos ao Krishnamurti).
      Rodrigo

      Excluir
    3. (Brasileiro), admito que a imprensa de nosso país demonstra um poder altamente questionável. Mas certamente não considero a sua proposta uma boa ideia, por conta da intervenção do Estado. Você questionou anteriormente a capacidade da Justiça para lidar com abusos da imprensa. E você tem absoluta razão quanto a isso. Mas é justamente por conta desta limitação (entre outras) que um sistema democrático melhor se identifica com uma meta do que com um estado de coisas. Ditaduras, neste contexto, costumam ser melhor definidas do que democracias. E um Estado intervencionista mais se aproxima de uma ditadura do que de uma democracia.

      Lula é um ótimo exemplo. Antes de Lula, o poder político real de nosso país estava concentrado em poucas famílias. Lula quebrou essa regra, sem precisar apelar a intervenções governamentais que combatessem o poder das tais famílias. Algo análogo pode ser feito com relação à imprensa.

      Como eu disse, sou favorável à democratização da educação, mas apenas no sentido de disponibilizá-la para toda e qualquer pessoa que viva em nosso país. No entanto, sou contrário à insistente intervenção governamental sobre os destinos da educação. Centralização do poder é, em geral, uma ideia ruim. O Brasil será um país melhor no dia em que menos pessoas souberem quem, afinal, é o Presidente da República.

      Excluir
    4. Rodrigo

      Certamente o ponto que você levantou é importante. No entanto, há mais um fator fundamental que não pode ser esquecido: o conceito de ética jornalística ainda está em debate no mundo todo, incluindo o acadêmico. Não é fácil compreender isso. Portanto, medidas de regulamentação da mídia, fossem quais fossem, seriam mecanismos arbitrários. Não confio na arbitrariedade.

      Excluir
    5. Adonai, a pouco era "democratização", agora o lobo em pele de cordeiro já se transformou em "regulamentação". Vá analisando a novilíngua.

      Excluir
    6. Krishnamurti,
      Nunca falei em "democratização" sobre nesta postagem. Também não uso disfarces. Sou exatamente do tamanho que você me vê aí de baixo.
      Porque você não vai brincar de bola no quintal, enquanto os adultos conversam na sala.
      Rodrigo

      Excluir
    7. Prof. Adonai,
      Concordo contigo.
      Meu comentário não é no sentido de regulamentação da notícia, mas no de suavizar a concentração do poder econômico nos meios de comunicação; daí meu comentário sobre as verbas oficiais para publicidade.
      Grande abraço,
      Rodrigo

      Excluir
    8. Gente, por favor, novamente peço para evitarem ataques pessoais entre comentaristas deste blog.

      Excluir
    9. Rodrigo

      Como seria essa suavização do poder econômico dos meios de comunicação, sem afetar os conteúdos abordados?

      Excluir
    10. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    11. Adonai e suas perguntas difíceis...

      Excluir
    12. Prof. Adonai,
      Não tenho opinião segura sobre o tema.
      O adendo que fiz é apenas para destacar as relações entre governos (e não Estado) e os grandes grupos de comunicação. Sempre estranhei verbas polpudas para vinculação de anúncios estatais em jornais, TV e internet, pois ajuda a manter o "status quo", que é o de poucos grupos produzindo conteúdo jornalístico que é consumido pela população brasileira.
      Aproveito para comentar que a internet talvez venha a ser espaço mais democrático de produção de informação, embora o acesso a ela também venha ser controlado por poucas empresas. Talvez a internet venha a ser a chave para maior democratização da produção e distribuição de informação, também aquela de conteúdo educacional.
      Saudações a todos (menos para a exceção de sempre),
      Rodrigo

      Excluir
    13. Rodrigo, aqui vale lembrar algumas coisas: 1) As grandes corporações privadas também pagam vultuosas somas à imprensa para que a mesma vincule propaganda dos seus produtos e isso pode levantar dúvidas sobre a imparcialidade dessa imprensa quando se trata de denunciar malfeitos daquelas corporações. 2) A atuação politicamente tendenciosa da imprensa é contrária ao governo apesar dos anúncios de empresas estatais vinculados por essa imprensa (ou seja, na prática não temos visto que a publicidade paga de empresas estatais pela imprensa tenha influenciado politicamente a mesma).

      (Brasileiro)

      Excluir
    14. Brasileiro,
      Queria parabenizá-lo pelas colocações que tem feito nesta postagem.
      Os seus últimos lembretes ampliam a discussão sobre o interesse público da publicidade estatal, que difere do interesse privado, e a visão um tanto inocente que se costuma ter sobre imparcialidade dos meios de comunicação. Não sei de em qual região você reside, mas nas cidades pequenas e médias do país é clara a dependência do jornalismo local com os poderes governamental e econômico estabelecidos (o que se contrapõe um pouco com a questão nacional que, acho, você menciona no item 2).
      Rodrigo

      Excluir
    15. Rodrigo

      Entendo o que diz. Mas ainda não vejo na internet nada que vá além de mero potencial, no que se refere a liberdade de expressão. Os nichos continuam muito visíveis em redes sociais. As pessoas ainda estão muito isoladas, apesar da internet.

      Excluir
    16. Rodrigo, agradeço pelas palavras. Gostaria que fosse possível ver discussões como essas na TV, pois isso faria com que milhões de brasileiros passassem a pensar e se comunicar sobre esse tão importante tema. Mas isso não acontecerá enquanto os meios de comunicação de grande alcance estiverem concentrados nas mãos de tão poucos como é o caso hoje (e com interesses incompatíveis com a permissão de uma discussão aberta como essa que estamos tendo aqui).

      (Brasileiro)

      Excluir
  9. Adonai, a impossibilidade do judiciário dar conta do enorme volume e gravidade de abusos da imprensa é uma demonstração da ineficiência estrutural das relações institucionais entre imprensa, sociedade e judiciário e, portanto, demonstram uma grave falha no modo como a nossa democracia está organizada. É preciso consertar isso e com urgência, pois tem ocasionado inúmeras injustiças a nível individual e coletivo.

    Concordo com o que você disse do Lula. Mas infelizmente tenho sérias dúvidas sobre se os que perderam (parcialmente) o poder político depois de 2003 respeitarão a democracia brasileira no seu afã por recuperar aquele poder. E é principalmente a atuação da imprensa que tem me feito duvidar cada vez mais disso. E tenho várias razões para isso, menciono três no momento: criminalização da política em geral e (ainda mais fortemente) do PT em particular, blindagem ao PSDB, indução de politização partidária de parte judiciário.

    Vejo que você tem sérias restrições à atuação do Estado na sociedade (por exemplo, usa o termo intervenção, que tem uma conotação um tanto negativa). Com todo respeito, também percebi que é necessário adquirir consciência da diferença entre os conceitos de Estado e de governo.

    Concordo com você que é fundamental que todos tenham acesso à educação. Mas acho que a democratização da educação é mais que isso. Significa sim democratizar o acesso à informação, mas também, e não menos importante, democratizar a produção da informação. Daí a urgência de a sociedade, por meio do Estado (já que é o único com poder para isso), mudar a estrutura da instituição que é a imprensa, de modo a democratiza-la.

    Democratizar a imprensa é urgente e uma condição necessária para isso é a sua regulamentação, afinal, "entre o forte e o fraco, a liberdade escraviza e a lei liberta”.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Brasileiro), talvez uma das diferenças entre você e eu esteja na sua crença de que seja possível democratizar a produção da informação. Tenho sérias dúvidas sobre a viabilidade prática disso. Ciência, por exemplo, nunca foi democrática. E é isso que a faz funcionar bem.

      Você questiona a imprensa e entendo os seus temores. Mas os meus temores se referem ao nosso povo. Vejo demonstrações de radicalismos e sede por poder em todas as direções. Sou professor de universidade federal. E vejo colegas de trabalho querendo iniciar greve ainda este ano. Isso, para mim, é demonstração de falta de sintonia com a atual situação sócio-econômica do país. Meu poder aquisitivo caiu consideravelmente nos últimos anos. Mas certamente não creio que isso justifique greve alguma, pelo menos neste momento tão delicado em nosso país. No entanto, a verdade é que muitos professores universitários pensam apenas em si mesmos.

      Você questiona sobre o compromisso com a democracia daqueles que perderam poder político. Eu questiono todos, incluindo aqueles que detém maior poder político. E não questiono gratuitamente, mas baseado em comportamentos que percebo em praticamente todas as esferas.

      A concepção de que a lei liberta é, sem dúvida, poderosa. O problema, no entanto, reside na cultura do brasileiro. Difícil confiar neste povo.

      Excluir
    2. Adonai, sim, eu tenho a crença na possibilidade da democratização da produção de informação. Sei que não será fácil e que pode demorar mais do que eu gostaria. Mas acho que é um processo que inexoravelmente será levado a cabo. Hoje a internet já oferece uma boa melhoria no nível de democracia comunicacional no Brasil. E seu blog é um exemplo disso. Você, um cidadão comum (do ponto de vista econômico e político) produz informação pública. Seu trabalho constitui assim um grãozinho de areia na muralha que está sendo construido nesse processo democratizador da informação (e portanto da educação). Não desanime.

      A realidade atual da imprensa brasileira é inaceitável, inclusive do ponto de vista jurídico. O artigo 220 da Constituição da República, no seu parágrafo 5º determina que "os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio." Hoje o país possui mais de 200 milhões de habitantes e a comunicação pública está concentrada nas mãos de 10 famílias. Essa é somente uma das numerosas e graves arbitrariedades da nossa situação comunicacional. E esse assunto é realmente muito importante. Por que a sociedade não debate esse tema em larga escala? Por que ele não está na boca e consciência do povo brasileiro? Resposta: porque, para tal, seria necessário haver ampla informação sobre esse tema. Mas quem controla a disseminação sobre informação no nosso país? Sim, aquelas 10 famílias. E, por motivos óbvios, a elas não interessa mudar o quadro atual. Para manter o status quo e impedir a solução dessa problemática usam o imenso poder comunicacional que possuem (e que só eles possuem) para nos convencer (através do medo e da mentira) de que as coisas devem continuar como estão.

      (Brasileiro)

      Excluir
  10. A imprensa não pode de forma nenhuma sofrer qualquer tipo de censura, vivi esse tempo e aprendi a ler as tarjas pretas do Pasquim... Hoje a diferença é que qualquer notícia aparece quase que instantaneamente e temos muitos modos de conferir a sua veracidade e divulgar...

    Por esse motivo concordo contigo Adonai é através da educação é que podemos melhorar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somente por meio da educação é que as pessoas deixarão de ser manipuladas por meios de comunicação chapa branca, salvo alguns sabichões (sem ofensa aos presentes ) .

      Só não concordo com esta idéia de falta de acesso à educação. Escolas e bibliotecas públicas estão aí pra quem quiser. Falta mesmo é conscientização de que cada um é responsável pelo seu destino.

      Excluir
    2. Hugo Delatorre, a luta contra a manipulação deve ser em duas frentes que em muitos aspectos se confundem: melhoria da educação e combate à manipulação (ou seja, enfraquecimento da manipulabilidade e superação das estruturas manipuladoras).

      (Brasileiro)

      Excluir
    3. Concordo Brasileiro. Quando terminei de escrever o comentário acima, pensei comigo mesmo, como na propaganda daquele famoso biscoito, o que deveria vir primeiro: uma educação contra a manipulação ou uma conscientização para uma melhor educação.

      Excluir
    4. Maria,
      Acho que a questão da democratização da informação e a regulação do setor de comunicação social ainda é muito turva no Brasil. Pressupõe-se sempre que isso implica censura ou controle da informação. Todas as reportagens que vi sobre o assunto na grande mídia foram no sentido de caricaturar o assunto - mais ou menos como aconteceu com a questão da terceirização do trabalho, na qual ficou nítida a adesão da Rede Globo em favor do patronato (falo da Rede Globo porque foi onde eu vi algumas reportagens).
      Sinceramente não sei se aconteceria censura ou controle da informação se houvesse regulamentação (ou se aconteceria da maneira bocó que é colocado por alguns). De toda forma se for olhada a experiência de outros países, talvez pudéssemos nos orientar melhor sobre o tema, quer seja para acolhê-lo, quer seja para refutá-lo.
      Saudações,
      Rodrigo

      Excluir
    5. Rodrigo

      Creio que a liberdade de expressão não deve ser cerceada.
      Vivi o tempo da ditadura em que não podíamos emitir qualquer opinião, ou discordar...
      Conheço pessoas que viveram em outros países onde eram proibidos de se expressar e nunca soube de nenhum caso onde isso levasse a sociedade a viver melhor. Não devemos criar regras, mas sim um senso crítico, seres pensantes e o restante automaticamente ocorre...e isso só pode ser obtido através da educação!
      E por esse motivo que temos muita coisa ruim em todos os canais dominados por seres não pensantes, onde vemos a importação do pior material do exterior e de transmissões feitas por essas seitas ridículas cujos bispos são proprietários e que aproveitam a ignorância para propalar ideias retrógradas! Não só a rede Globo que ultimamente é tão culpada de tudo como a Dilma, mas as demais que são mais perniciosas ainda, desde que veiculam não só falsas notícias como uma série de absurdos, inclusive desrespeitando a inteligência do ser humano.
      Mas, com certeza , nada se compara ao tempo em que tudo era censurado... Mesmo nesse período tivemos pessoas capazes de nos transmitir algumas informações como por exemplo, o Pasquim…
      Precisamos ter liberdade de pensamento e de expressão, como diz o excelente texto do Adonai!

      Excluir
  11. Caros

    Manipulação demanda visão tendenciosa. E visão tendenciosa é um fenômeno absolutamente natural. Lutar contra a manipulação é o mesmo que lutar contra a gravidade. Manipulações existem até mesmo entre casais. A bem da verdade, manipulações existem de uma pessoa consigo mesma. Psicanalistas bem sabem disso.

    Lutar contra manipulações externas é apenas uma forma para tentar impor novas manipulações. Nada além disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adonai, o que seríamos de nós se não lutássemos constantemente contra a gravidade? Estaríamos rastejando como vermes.

      A principal diferença entre nós é que você acha que não se deve lutar contra a manipulação informativa e eu acho que sim.

      (Brasileiro)

      Excluir
    2. (Brasileiro)

      Se alguém luta contra a gravidade, apenas lamento. O que se faz em uma sociedade educada é aprender com a gravidade e adaptar-se a ela. Por conta disso que existem aviões.

      Excluir
    3. Quando saltamos estamos lutando contra a gravidade. É essa luta que nos permite saltar, caminhar, viajar de avião e tantas outras coisas. Da mesma forma, devemos lutar contra a manipulação informativa mesmo que porventura acreditemos que ela seja tão natural como a gravidade. Claro, isso se realmente quisermos fazer algo para termos um mundo mais justo e melhor para nós mesmos e para as futuras gerações.

      (Brasileiro)

      Excluir
    4. Bem, eu não luto contra gravidade. Não tenho nada contra ela.

      Excluir
    5. Nada contra ela, mas sim contra se submeter a ela. Logo, luta contra ela (realiza forças opostas à força gravitacional). Se não o fizesse, sequer rastejaria. A gravidade é sim natural, mas tão natural quanto é nosso impulso de luta contra ela. A manipulação informativa pode ser natural, mas também o é a luta contra ela, a menos para quem tem senso de justiça e consciência dos males individuais e sociais que ela provoca.

      (Brasileiro)

      Excluir
    6. (Brasileiro)

      Certamente a manipulação é tão natural quanto a luta contra ela. Afinal, a luta contra a manipulação também é uma manipulação. Mas o que digo é que o centro da questão não me parece ser este. O foco deve ser educação, pura e simples. E quando me refiro a educação, falo em um sentido cultural, que abrange todos os segmentos sociais. Educação começa no berço. Um pai ou uma mãe que crie seus filhos sob uma filosofia cristã, ateísta, liberal, comunista, ou qualquer que seja a tendência, não está contribuindo para uma visão de liberdade de pensamento. O problema não reside apenas na imprensa, mas também naqueles que a alimentam, o povo. Aquilo que você chama de luta, eu prefiro chamar de paciência, muita paciência. A realidade de todos nós é muito dura. Temos que enfrentar da gravidade às discussões eternas sobre política, liberdade de expressão, controle da mídia, aborto, PT, conta de luz etc etc etc. A coisa não tem fim.

      O que defendo com maior ênfase não é sequer a liberdade de expressão, mas a liberdade de pensamento, uma luta que todos devemos travar com nós mesmos. Daí o tema da postagem abaixo.

      http://adonaisantanna.blogspot.com.br/2014/11/os-limites-da-liberdade-de-expressao.html

      Este sim é o grande desafio. Preocupo-me tanto com a imprensa quanto com o pai que não apresenta opções para os seus filhos.

      Excluir
    7. Adonai, como você bem disse o tema educação é amplo e abrange todos os segmentos sociais. Daí a importância de discutir e pensar sobre comunicação social, que obviamente tem uma forte influência na educação da população.

      (Brasileiro)

      Excluir
    8. Adonai, como o substrato do pensamento é a informação, é impossível uma consequente preocupação com liberdade de pensamento sem autêntica preocupação com liberdade de informação.

      (Brasileiro)

      (Brasileiro)

      Excluir
    9. Adonai

      De fato tens razão em relação ao fato de que educação que vem do berço. Vejo crianças sendo criadas desde pequenas dentro de moldes tão restritivos, onde os "ismos" predominam e acabam criando seres não pensantes, medrosos, seguindo rituais. Dificultando o aprendizado posterior mesmo nas melhores escolas... Por esse motivo acabam sendo pessoas que não exercitaram e não necessitam da liberdade de pensamento ou de expressão, pois não tem senso crítico e servem de massa de manobra. E nós sabemos o quanto isso é pernicioso para a humanidade. E isso ocorre não só no Brasil ou no terceiro mundo…
      Felizmente ainda existem professores, pais e escolas que se preocupam em desenvolver seres pensantes...

      Excluir
    10. Marilia, que bom seria se pudéssemos ter uma imprensa preocupada em desenvolver seres pensantes. Mas nunca o fará enquanto tiver concentrada nas mãos de 10 famílias e sem regulação (ou obediência a ela) e em flagrante desrespeito à Constituição Federal. Como defender liberdade de pensamento sem lutar por liberdade de informação?

      (Brasileiro)

      Excluir
    11. Mariia

      Tenho uma turma de cálculo que me parece ser muito reveladora sobre vastos segmentos sociais. A maioria dos alunos dessa turma tem medo dos colegas. Quando aparecem poucos alunos (no máximo 15) na sala de aula, praticamente todos participam, questionam. Mas quando essa massa crítica de número de alunos (15) é ultrapassada, praticamente todos se calam. E vários deles já admitiram que temem a reação dos colegas. Parece existir um medo muito grande em nosso país. É um país cujas casas são "protegidas" por grades e tetra-chaves, sem que a maioria perceba que uma tetra-chave pode ser rapidamente aberta com um alicate de ponta fina. Onde o medo domina, não há como cultivar a liberdade de pensamento.

      Excluir
    12. Adonai não entendo sua posição. Você no post fala sobre política sem pender pra nenhum dos lados, porém concorda com a infantilidade e estupidez do Krishnamurti, (que já ofendeu dois leitores do seu blog) dizendo que tomar partido significa defender um partido. Então você quis ficar em cima do muro no post, porém concorda que uma pessoa que culpa um único partido por todos os problemas do país? Não entendi sua ideia.

      Opinar é uma coisa, agora agredir os outros dizendo que não sei o que eu estou lendo ou falando é outra. Logo depois que eu publicar ele vai postar um monte de besteiras, insinuações e indiretas, além do que vai chorar pra você. Estou me segurando pra não falar uma verdades que ele merece ouvir, portanto exijo também respeito a minha pessoa por parte desse ser.

      Se for assim vou publicar muitos podres do PSDB também, e humilhar aqueles que não concordarem com minha opinião. Acha isso certo??

      Excluir
    13. Hugo

      Já apaguei comentários neste blog muito mais do que eu gostaria. Por enquanto, sou teimoso o bastante para não impor mais moderação sobre os comentários. Minha posição é a seguinte: estou tentando dialogar com comentaristas em busca de auto-crítica de todos os envolvidos, sem necessariamente pensar em termos imediatistas. Krishnamurti errou sim, ao ofender comentaristas. E errou mais ao não se desculpar. E até pouco tempo atrás eu não toleraria isso. Mas, hoje, só estou cansado dessa balbúrdia toda. Troquei diversas mensagens pessoais com ele, sobre formas de abordagem e discussão. Nada mudou, por enquanto.

      Não quero parecer pretensioso mas, honestamente, vejo aspectos positivos muito importantes em pessoas como você e também em Krishnamurti e todos os demais comentaristas regulares. São aspectos positivos importantes o bastante para fazer com que eu hesite em decisões drásticas. Não sei se estou certo ou errado. Sei apenas que não é fácil lidar com gente.

      Você diz que exige respeito de Krishnamurti. Não posso falar por você, pois certamente não o conheço. Mas posso dizer que já passei por muitas pessoas (incluindo comentaristas) que me ofenderam. Não me importo com essas pessoas. Elas não me dizem algo relevante.

      Eu, por exemplo, respeito você, muito mais do que eventualmente transpareço. Mas também respeito Stafusa, Espindola, (Brasileiro), Krishnamurti e todos os demais comentaristas regulares. E mesmo que você chegue à conclusão de que estou sendo injusto e resolva me mandar praquele lugar... continuarei respeitando-o.

      Mas uma justiça existe neste mundo: tempo. É o tempo e apenas o tempo que mostra quem realmente valeu a pena neste mundo.

      Excluir
    14. Adonai, menos, bem menos. Se você observar todos os meus comentários neste texto teu verá que não insultei nenhum dos comentaristas, por sinal as coisas se deram bem ao contrário, e como você recebe todos os comentários por e-mail (mesmo os apagados), sabe do que estou falando.

      E por sinal nem em outros textos, onde só algumas vezes retribui as patadas sobre comentários meus.

      Excluir
    15. Ok Adonai

      Em respeito a você e aos comentaristas (exceto ao Krishnamurti) irei comentar apenas os assuntos matemáticos.

      Excluir
    16. Krishnamurti

      Você sabe que tem um temperamento um tanto incisivo. E bem sabe que este também é o meu caso. Basta ver principalmente as postagens mais antigas, as quais eram bem mais agressivas. Mas esta incisividade não ajuda. Apenas afasta mais aqueles que já estão afastados.

      Excluir
    17. Adonai, de certo, então algo mudou, e em respeito a você e seus conselhos.

      Excluir
    18. (Brasileiro)

      É interessante observar que a liberdade de informação existe. Entre elas temos agora as formas alternativas e independentes, temos os comunicadores que conseguem transmitir conhecimento e cultura em diversos tipos de mídias. Só para citar um: estamos no blog dele… Evidentemente precisamos de senso crítico para ler e repassar o que interessa. Os meios atuais de comunicação abrem uma alternativa inexistente no passado negro da ditadura.

      Hodiernamente a notícia é veiculada quase instantaneamente e muitos acontecimentos trágicos foram evitados por causa dessa comunicação. Vou citar um exemplo se não tivéssemos essa cobertura instantânea dos acontecimentos teríamos tido um massacre em Kiev, no Euromaiden, o ano passado.

      Portanto, vivemos outro tempo e podemos deixar de repetir o mesmo jargão: “… dez famílias que dominam…” e tomar atitudes. Desde a divulgação de notícias falsas em todos os meios, como a divulgação de ciência, música, poesias, livros, qualquer tipo de manifestação cultural ou científica. Temos em nossas mãos uma grande quantidade de meios para tentar mudar algo. Inclusive com essas atitudes conseguimos retirar dos meios de comunicação usuais o domínio. Evidentemente que para isso cada um de nós precisa atuar e tentar mobilizar mais pessoas pensantes. E, com certeza, iniciativas como as do professor Adonai são espetaculares. Existem ainda uma série de locais para a divulgação de ideias, por exemplo de artigos científicos online, de graça para quem divulga ou acessa. Essa atitude impede que as grandes editoras cobrem 30 dólares pelo acesso a um artigo científico por 24 horas!

      Portanto creio que podemos fazer pequenas modificações que em conjunto podem resultar na melhoria da comunicação.

      Excluir
    19. Adonai

      Dou aula a noite em geral e não observo a mesma paranoia que descreves, a maioria dos alunos que assistem aulas são bastante participativos . Geralmente são alunos que trabalham e gostam de aproveitar as aulas. Existe uma grande diferença entre dar aula aqui e em Vitória/ES, lá o poder aquisitivo dos alunos era muito alto e a maioria só queria o diploma, aqui os alunos são de um poder aquisitivo baixo e em sua maioria muito esforçados.
      Por outro lado, o que percebo é a cultura do medo e o isolamento cada vez maior das pessoas. Vou e volto de noite para a UFPB sem problemas, mas sempre me perguntam se não tenho medo. Aqui em João Pessoa o pessoal deixa de morar em casas por causa da segurança dos prédios, no entanto assalto em prédio é feito por gente especializada… Moro em casa e até hoje em mais de trinta anos roubaram um bujão, uma bicicleta e três redes… As pessoas se preocupam demais com os bens materiais e acabam esquecendo de dar valor ao intelectual. Existe uma cultura do medo, e ladrão e cachorro percebem… Mas acredito ainda que apesar de tudo nós ainda conseguimos incentivar esses meninos a exercitar a liberdade de pensamento, alterando um pouco o rumo da sociedade.

      Excluir
    20. Mariia

      Definitivamente não vejo como discordar do que diz. Brasil parece um país em estado de sítio. E este domínio do medo é um poderoso freio. E não tenho ideia de como mudar este quadro.

      Excluir
    21. Mriia Espindola, o fato de a imprensa brasileira estar nas mãos de 10 famílias é isso: um fato. Não um jargão, como você colocou. E é um fato frontalmente anticonstitucional e francamente contrário à liberdade de informação. Sim, é bem verdade que hoje a internet surge como uma alternativa bastante interessante no que diz respeito a uma melhoria na nossa situação lamentável de liberdade de informação. É bem verdade também que esse blog é um bom exemplo disso. Inclusive, se você reler meus comentários anteriores perceberá que eu mesmo já havia dito isso.

      No entanto, note que o avanço que a internet nos possibilitou ainda está muito aquém do que necessitamos para podermos dizer que temos um aceitável nível de liberdade de informação no nosso país. A liberdade de movimentar a cabeça não deve fazer-nos concluir que há liberdade de movimento se quem movimenta a cabeça está amarrado.

      Já reparou que todos os comentaristas da imprensa (Organizações Globo, Folha de São Paulo, Estadão, Veja, etc) tem as mesmas opiniões sobre temas como Venezuela e MST? (só para citar dois exemplos, mas você pode pensar em outros). Sim, é possível buscar outras informações sobre esses e outros temas na internet. E isso é ótimo! Mas sejamos realistas, não há a menor paridade com o poder comunicacional daquela imprensa citada anteriormente. E como sabemos, informação é poder e democracia exige equilíbrio de poderes. Se o poder informativo está tão fortemente concentrado como ocorre no Brasil, então necessariamente há uma preocupante fragilidade democrática. Além de óbvio prejuízo à liberdade de pensamento - uma vez que há limitação na liberdade de informação - e, consequentemente, danos à educação do povo (incluindo eu e você).

      É preciso pensarmos sobre esse tema com muito cuidado sim, mas sem medo. Ninguém está propondo a censura da imprensa.

      (Brasileiro)

      Excluir
  12. E aponto uma convergência entre o tema do post e o desenrolar que ele teve nos comentários: boa parte desse clima que vivemos hoje no país, e que está exposto no post, é em boa parte fruto do mal trabalho realizado pela imprensa monopólica nacional na cobertura dos acontecimentos políticos.

    P.S. Hugo Delatorre, você alegou que por respeito aos comentaristas decidiu não mais discutir política aqui. Quero explicitar que não me senti incluído nesse "comentaristas", pois acho importante que as pessoas se expressem e pensem sobre esse tão importante tema.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Brasileiro)

      Me perdoe por não querer mais comentar sobre isso. Mas tentar discutir de forma civilizada com algumas pessoas é complicado. Tem gente que escreve o que quer amparando-se na democracia, Porém tem que respeitar as opiniões contraditória e assumir as consequências de tudo que diz. Afinal, quem fala o que quer, ouve o que não quer, muitas vezes.

      No fim acabei entrando em uma onda errada e perdendo um pouco a paciência e sendo marcado como alguém "cricri". Portanto, apesar de achar importante também este tema, prefiro não mais comentar.

      Excluir
  13. «Nesta edição de #ProntoFalei, o comentarista político Reinaldo Azevedo aborda o discurso do presidente nacional do PT, Rui Falcão, durante o 5º Congresso Nacional do partido.

    Ao mesmo tempo em que ele defende todas as escolhas de Dilma Rousseff, critica as decisões do ministro da Economia, Joaquim Levy. O fato é uma incongruência, afinal, a política econômica é de Dilma Roussef.

    Confira a análise completa no vídeo abaixo:

    http://jovempan.uol.com.br/programas/os-pingos-nos-is/prontofalei-dois-pesos-e-duas-medidas-em-congresso-do-pt-rui-falcao-elogia-dilma-e-critica-politica-economica.html
    »

    ResponderExcluir
  14. Isso é a petralhada...

    «DELINQUÊNCIA POLÍTICA – Em congresso do partido, petista incita black blocs a voltar às ruas contra os “ricos”»

    http://abr.ai/1FjzoLg

    Vídeo: youtu.be/qxhvbeIBaWo

    E, como sempre, quando é pega de calças curtas usa do manjadíssimo vitimismo...

    https://medium.com/@jornalistaslivres/me-sinto-humilhado-afirma-s%C3%A9rgio-mamberti-24ad73d2d576

    ResponderExcluir
  15. «ÓDIO À IMPRENSA LIVRE – Secretário de Haddad tira sarro da demissão de jornalistas e ironiza repórteres da Folha e do Estadão. Ou: Tenha compostura, Jilmar Tatto, e peça demissão!»

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/odio-a-imprensa-livre-secretario-de-haddad-tira-sarro-da-demissao-de-jornalistas-e-ironiza-reporteres-da-folha-e-do-estadao-ou-tenha-compostura-jilmar-tatto-e-peca-demissao/

    ResponderExcluir
  16. Hoje (17/06/2015) se pode dizer, com 100% de certeza, que todo aquele que permanece sendo petista ( ou professe o credo fracassado do socialismo) é um "imbecil" (ninguém precisa se ofender, é só ver o que o Houaiss nos diz abaixo):


    1 que ou aquele que denota inteligência curta ou possui pouco juízo; idiota, tolo
    2 Diacronismo: obsoleto.
    que ou aquele que é fraco, sem forças
    3 Derivação: por extensão de sentido. Diacronismo: obsoleto.
    que ou quem não tem coragem; covarde, pusilânime
    4 Rubrica: psiquiatria.
    que ou quem apresenta retardo mental moderado (imbecilidade)

    Ou "calhorda" (Houaiss de novo: diz-se de ou pessoa sem valor, desprezível, ordinária ).

    Por quê? Eis alguns (das centenas) de motivos:

    1 - http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/06/17/para-acobertar-o-lobista-lula-dilma-esconde-documentos-ate-2030-e-o-transparencia-zero-do-pt/

    2 - http://www.implicante.org/blog/segundo-o-judiciario-petista-usou-rede-de-orgao-publico-para-atacar-adversario/

    3 - http://ucho.info/trabalhador-brasileiro-perde-r-11-bi-por-ano-com-financiamento-do-bndes-a-exportacao-de-servicos

    4 - A lista continuaria quase "ad eternum" ...

    Petista falando o que verdadeiramente pensa: http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/06/15/blogueiro-petista-comemora-assalto-em-shopping-e-pede-mais/

    P.S: O PT é o único partido com problemas? ÓBVIO que não. Ocorre que o dito-cujo é a face mais visível (e atuante) do pensamento estatólatra-milenarista-totalitário que viceja há décadas nos pulgueiros conhecidos como universidades brasileiras (o câncer foi gestado na área de humanidades das IFES e, por metástase, corrompeu boa parte do sistema — privado inclusive). Isso para não falar da nossa "mídia golpista" ( risos): http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/172/173

    Vocês preferem acreditar em mim ou nos seus próprios olhos? Estudem o assunto (mesmo que "detestem" política" ) e depois vejam se o que o PT propõe (incluindo PSOL,PCdoB e quejandos — meras franjas do petismo ) é realmente tão "bacana" assim... tá aí o cenário de crise que não me deixa mentir (criada, diga-se de passagem, com a imensa e decisiva colaboração do atual governo. Duvida? Veja o que economistas decentes dizem sobre: https://mansueto.wordpress.com/ - http://maovisivel.blogspot.com.br/2015/06/razoes-da-estagnacao-industrial.html ). Vejam também esta excelente entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=AQNF0KToJuU

    Sérgio (afinal, a esperança é a última que morre... ou não?)

    ResponderExcluir
  17. Sergio, com o governo do PT o Brasil reduziu a pobreza extrema em mais de 75%. Quanto à corrupção, nunca ela foi tão combatida como o é sob o governo do PT.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir
  18. "... com o governo do PT o Brasil reduziu a pobreza extrema em mais de 75%..." Como foi calculado esse número mágico de "mais de 75%" ? Foi retirado do site do Planalto? Pior: você acreditou nisso, parceiro?

    " Quanto à corrupção, nunca ela foi tão combatida como o é sob o governo do PT. " Mais uma vez: quais os dados empíricos que embasam essa afirmação? Nota: Quando a Dilma, na campanha do ano passado, dizia "que mandava investigar isso e aquilo", sinto dizer, meu brother, era patranha da grande. MP e Polícia não precisam que dona Dilma "mande" investigar. Leia a CF/88 e estude a legislação administrativa/penal.

    Bem, sei que debater com partícipes da grei socialista/totalitária é, em muitos casos, uma causa perdida (seja por imbecilidade, seja por calhordice. Ou o que é mais comum: uma mixórdia dos dois). No entanto, quero acreditar que este não é o seu caso. Por isso, recomendo vivamente a leitura dos textos indicados ao final da seguinte postagem (o autor, inclusive, já colaborou com este espaço):

    http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2015/06/o-marxismo-universitario-e-cultura.html

    P.S: Após a leitura do material acima sugerido, você pode querer algumas indicações bibliográficas. Fá-las-ei com prazer.

    Cordialmente,

    Sérgio (um outro brasileiro)

    ResponderExcluir
  19. Sérgio, segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) o Brasil é hoje exemplo internacional de combate à fome. Segundo essa mesma organização de referência internacional, o Brasil reduziu a pobreza extrema em 75% e a pobreza em 65%, sob o governo do PT.

    Com relação ao combate à corrupção, a PF ganhou com o governo do PT autonomia inédita na sua história. Em 8 anos de governo FHC a PF realizou 48 operações enquanto em 11 anos de governos do PT, de 2003 até maio de 2014, foram 2.226 operações da PF. Com o PSDB no governo a PF não tinha autonomia para combater a corrupção, que existia tanto quanto hoje. Além das enormes diferenças numéricas apontadas acima, é importante lembrar que na época de FHC chegou-se ao cúmulo surrealista de um filiado do PSDB ser o diretor-geral da PF. Meu caro colega, como bem disse o filósofo Mario Sergio Cortella, não temos hoje mais corrupção que antes, o que temos é mais evidência dessa corrupção. E isso ocorre porque ela vem sendo combatida e punida como nunca antes na história desse país.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir
  20. A cara de pau da canalha é ilimitada...

    «Petista da FAO, órgão da ONU, dá ao tirano Maduro prêmio por seu combate à fome na faminta Venezuela. E a trupe dos admiradores de um assassino

    Na terça-feira, acreditem, o petista José Graziano, que preside a FAO, Organização das Nações Unidos para a Agricultura e Alimentação, condecorou Nicolás Maduro, o ditador que governa a Venezuela, por sua luta contra a fome. O mundo fez chacota da condecoração, ainda que outros 17 países tenham merecido também a distinção. A Venezuela passa pela pior crise de abastecimento de sua história.»

    http://abr.ai/1fmNGpu

    ResponderExcluir
  21. Sim, a Venezuela também é um dos países da América Latina que com mais sucesso tem combatido a miséria e a fome no seu país. Isso desde que Hugo Chávez foi eleito democraticamente em 1999. Essa é uma das principais razões pelas quais ele foi reeleito e posteriormente Nicolás maduro eleito, no que, segundo o ex-presidente norte-americano Jimmy Carter, qualificou como o melhor processo eleitoral do mundo.

    (Brasileiro)

    ResponderExcluir

Respostas a comentários dirigidos ao Administrador demoram usualmente até três dias.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.